Elastografia

Início/Exames realizados/Ultrassonografia/Elastografia
Elastografia2017-10-17T23:37:45+00:00

Elastografia

  • ultrassonografia-elastografia1-900-600
  • ultrassonografia-elastografia2-900-600

Para diagosticar qual doença?

A elastografia é um método não invasivo que mede a rigidez de um tecido através da medida da velocidade de propagação de uma onda mecânica. De uma maneira geral, tecidos inflamados ou com fibrose (como a cirrose) ficam mais duros e isso pode ser medido pelas técnicas de elastografia.

Seu uso já está bem estabelecido nas seguintes situações:

  1. Avaliação e acompanhamento de pacientes com doenças do fígado que possam evoluir para a cirrose;
  2. Avaliação de nódulos da tireoide, como mais uma ferramenta para diferenciar câncer de nódulo benigno;
  3. Avaliação de nódulos da mama, como mais uma ferramenta para diferenciar câncer de nódulo benigno ou cisto;

Várias outras utilidades para a elastografia estão sendo estudadas e desenvolvidas pela medicina, como na avaliação de lesões dos músculos e tendões; de doença nos rins; doenças do baço; etc…

Métodos de estudo da elastografia

Existem basicamente três métodos de estudo de elastografia na medicina: o Fibroscan, a Ultrassonografia e a Ressonância Magnética.

– O Fibroscan foi o primeiro método desenvolvido para aplicação clínica e consiste em um aparelho que gera uma pequena “pancada” entre as costelas e mede a elasticidade do fígado. Ele avalia apenas o fígado, porém sem gerar imagens da região que está sendo estudada. Tem como vantagem ser o método mais testado e validado para a avaliação do fígado, por ser o mais antigo. Suas desvantagens são: baixa disponibilidade; alto custo; pode ser desconfortável; não é possível ver o que realmente está sendo medido, pois não tem imagem para guiar a medida; em pacientes obesos ou com liquido na barriga (ascite), sua avaliação pode gerar leituras erradas; e só é útil para a avaliação do fígado e em um pequeno segmento.

– A Ressonância Magnética com elastografia é um método mais moderno, necessita de uma “pá” que gera vibrações no local a ser estudado. Tem como vantagens: avaliar o fígado inteiro; e ser mais fácil de realizar pois não depende de um médico para aplicar a onda. Suas desvantagens são o alto custo; necessidade de anestesia em crianças pequenas e pacientes claustrofóbicos; não pode ser realizada em pacientes com dispositivos metálicos com restrição ao campo magnético (marcapasso, etc…); e aplicação restrita ao fígado e músculos.

– A Ultrassonografia com ARFI (Acoustic Radiation Force Impulse) gera uma onda de ultrassom que não é percebida pelo paciente medindo a velocidade da onda dos diferentes tecidos estudados. Tem como vantagens: maior aceitação, principalmente em crianças, sem necessidade de anestesia; o tecido estudado é diretamente visualizado na ultrassonografia, podendo escolher a área a ser medida; menor custo dos três métodos; pode ser utilizado para qualquer órgão acessível pela ultrassonografia (mama, tireóide, fígado, rins, músculos e tendões, etc…). Suas desvantagens são a dependência da experiência do médico; e a avaliação segmentar do fígado.

Orientações antes do exame

Na Tesla, realizamos a elastografia através da Ultrassonografia, pelo método ARFI, em adultos e crianças, para todas as avaliações, seja do fígado, mama, tireóide ou dos músculos e tendões.

Para a avaliação do fígado, é necessário jejum de 8 horas. Para os demais órgãos, não é necessário nenhum preparo especial.

Marque seu Exame

A Tesla Imagem está sempre pronta para atendê-lo.

Digite o código no campo abaixo: captcha