O que é tomografia computadorizada?

Início/Exames/O que é tomografia computadorizada?

O que é tomografia computadorizada?

A tomografia computadorizada é um método de exame onde as imagens são geradas à partir de um tubo de Raios-X que gira em torno do paciente enquanto a mesa se desloca. As imagens geradas representam fatias do corpo humano e são processadas por um complexo sistema de computadores.

Muitas vezes, quando é necessário estudar os vasos sanguíneos, tumores ou processos inflamatórios ou infecciosos, é necessário injetar uma medicação na veia, conhecida como contraste iodado. Você pode se informar melhor sobre o contraste em nossa publicação sobre o assunto.

Rápido e indolor, a realização do exame costuma durar entre 1 e 15 minutos e é indicado para todas as idades. Pela tomografia computadorizada é possível visualizar alterações que não conseguem ser captadas por uma radiografia comum – como tumores, fraturas, obstruções circulatórias, problemas no tecido, entre outros.

Saiba mais sobre a tomografia computadorizada e marque seu exame na Tesla Imagens. Aqui você encontra uma equipe capacitada e equipamentos de última geração para realizar exames com todo o conforto e agilidade que você merece.

Entenda a importância da tomografia computadorizada

Surgido em 1970, o exame rapidamente se tornou um dos procedimentos mais importantes na medicina e trouxe uma série de benefícios, como a agilidade e precisão no diagnóstico.

Essas características são fundamentais, principalmente em casos em que o médico precisa de exatidão para um início imediato de um tratamento, como na avaliação de trauma, AVC (ou derrame), embolia pulmonar, dor abdominal aguda e tumores.

A máquina capta as imagens e as projeta em fatias. Os aparelhos mais modernos são chamados de Multislice. Eles conseguem captar várias fatias a cada rotação do tubo, adquirindo, assim, as imagens em menor tempo e possibilitando reconstruções tridimensionais perfeitas.

Com aquisições rápidas, podemos estudar o comportamento dos tecidos em várias fases com a utilização do contraste, sabendo assim como é a nutrição de tumores e sua drenagem.

Cada fatia tem cerca de 1mm de espessura do corpo. Sendo assim, a tomografia computadorizada pode registrar mais de 800 imagens, dependendo da região do corpo e da quantidade de fases realizadas. Logo, pode-se imaginar que as imagens que são impressas no filme ou na folha de papel fotográfico representam uma pequena parte do exame e tem apenas função ilustrativa do que foi feito.

Hoje em dia, só é possível avaliar com precisão um exame de tomografia computadorizada através de um computador com softwares específicos para análise das imagens.

Realização

O equipamento possui o formato de um tubo ou uma rosca, onde o paciente permanece deitado e imóvel. Enquanto o tubo gira dentro dessa “rosca”, a mesa desloca, capturando as imagens (fatias) que são transmitidas ao computador e analisadas pelo médico radiologista.

Existem casos em que se faz necessária a aplicação de um contraste, administrado na veia, e que tem como objetivo destacar os vasos para a análise da circulação sanguínea pelos diferentes órgãos, além da gravidade de lesões.

Quando houver a necessidade de injetar o contraste, recomendamos jejum de 4-6 horas. Essa recomendação é relativa, não sendo condição obrigatória para a realização do exame. O jejum é indispensável apenas para bebês, pacientes idosos, pacientes com algum comprometimento das habilidades mentais, pacientes inconscientes ou quando houver a necessidade de sedação. Exames sem contraste não precisam de nenhum preparo especial.

A tomografia computadorizada emite radiação ionizante para poder captar as imagens. Os níveis de radiação com que trabalhamos são muito seguros. Praticamente não existe risco de efeitos agudos da radiação nos exames de tomografia computadorizada realizadas nos aparelhos mais modernos e com protocolos direcionados.

A grande preocupação fica por conta dos efeitos cumulativos, resultado de várias tomografias realizadas durante a vida. Embora esses efeitos sejam teóricos e difíceis de serem comprovados, devemos sempre utilizar a menor dose de radiação possível para chegarmos ao diagnóstico.

Essa estratégia é especialmente importante em crianças e em pacientes com câncer ou com risco de câncer que fazem exames de tomografia com maior frequência. Nesses casos, temos protocolos especiais para cada situação.

Mesmo em pacientes grávidas, a dose de radiação absorvida pelo feto em exames isolados de tomografia computadorizada não é suficiente para causar danos, malformações ou morte fetal. Quando bem indicada, a tomografia computadorizada pode ser realizada com segurança em pacientes gestantes, sem risco real para o feto.

Na Tesla Diagnóstico por Imagem, o especialista que conduzirá a tomografia computadorizada está disponível para conversar com o paciente, entender suas queixas e fazer todas as orientações necessárias.

Com esse atendimento personalizado, é possível dar um diagnóstico com mais qualidade e aplicar a menor dose de radiação necessária.

Além disso, os médicos possuem um canal direto com os médicos solicitantes e podem esclarecer dúvidas sobre os laudos para um entendimento ideal para cada caso. Agende agora seu exame!

 

Por |2018-02-06T01:07:12+00:0023 de janeiro de 2018|0 Comentários

Sobre o Autor:

Avatar

Deixar Um Comentário