Ressonância Magnética: quais as doenças que podem ser identificadas?

Início/Exames/Ressonância Magnética: quais as doenças que podem ser identificadas?

Ressonância Magnética: quais as doenças que podem ser identificadas?

A Ressonância Magnética é um exame de imagem utilizado como ferramenta diagnóstica e prognóstica de diversas doenças.

O objetivo do exame é a visualização das estruturas internas do corpo, e de todos os tecidos, desde ossos até o tecido conjuntivo, gorduroso, órgãos e músculos.

As máquinas de ressonância magnética funcionam através da utilização de ímãs muito fortes, que geram campos eletromagnéticos. Esses campos, juntamente com ondas de rádio emitidas pelo dispositivo, permitem a formação de imagens completas do corpo, com relativa qualidade e detalhe.

Ela não utiliza nenhum tipo de radiação, como outros tipos de exame como o raio-X e a tomografia computadorizada, constituindo um método de imagem seguro e de aplicação muito frequente na prática clínica.

Indicações da ressonância magnética

A Ressonância Magnética possui diversas indicações no meio médico e ajuda tanto na identificação de doenças, como na definição da sua gravidade, e no acompanhamento da sua evolução, permitindo o melhor direcionamento do tratamento e ajudando os médicos na tomada de decisões.

Dentre as doenças que a ressonância magnética é capaz de identificar, encontram-se:

  • Identificação e avaliação de cânceres, nos diversos sistemas corporais;
  • Avaliação de anormalidades no cérebro ou na medula espinhal;
  • Identificação de malformações em veias e artérias corporais, inclusive no cérebro;
  • Diferentes tipos de tumores ou cistos em diversas regiões do corpo;
  • Rastreio de câncer de mama em mulheres de alto risco para a doença;
  • Investigação de doenças que acometem as articulações, bem como de malformações, lesões, desgastes ou anormalidades nessas estruturas;
  • Lesões e doenças cardíacas;
  • Avaliação de doenças do fígado e de outros órgãos localizados na cavidade abdominal;
  • Avaliação da integridade de músculos em diferentes partes do corpo, inclusive do músculo cardíaco;
  • Avaliação e investigação da dor pélvica, tanto em homens quanto em mulheres;
  • Dentre outras.

Contra indicações e efeitos colaterais na realização da ressonância magnética

A ressonância magnética, em algumas situações específicas, deve ser feita com o uso de um contraste, que é injetado no paciente antes do exame. O contraste possui poucos efeitos colaterais, mas pode causar náuseas, dores de cabeça ou queimação no local da injeção, para algumas pessoas.

O contraste não pode ser usado em pessoas com função renal reduzida, pois pode piorar o quadro de insuficiência renal.

Indivíduos com próteses metálicas, como marca passos cardíacos, próteses articulares, pinos, ou placas metálicas, não devem realizar o exame.

Além disso, pessoas com claustrofobia o que se sentem desconfortáveis em espaços apertados podem ter dificuldade na realização do exame, que exige que a pessoa passe alguns momentos dentro do aparelho, em um espaço restrito.

Pergunte ao seu médico qualquer dúvida que você tiver a respeito do exame e certifique-se de que ele tem todas as informações a seu respeito para que possa indicar sempre o exame que é mais adequado e seguro para o seu caso.

Por |2018-09-26T13:12:44+00:0012 de setembro de 2018|0 Comentários

Sobre o Autor:

Avatar

Deixar Um Comentário